image1 image2 image3

ALL THE WORLD|WELCOME

Let´s NOT pray

Quão irónico é pedir que rezem por Paris se, muito provavelmente, aquilo que os terroristas fazem antes do atentados é, justamente, rezar?
Li algures alguém que dizia "O fanatismo é o maior defeito da Humanidade", e é. De quinhentas mil demonstrações triviais de fanatismo, seja por bandas ou atores, emergem aquelas que realmente causam impacto: politica ou religião. Uma faz das pessoas números, outra faz das pessoas marionetas.
Num dia em que se contam números, 127 por sinal, e em que o mundo está num luto azul, branco e vermelho pergunto-me porque rezam as pessoas? Não é que a questão já não me tivesse surgido antes, mas hoje causa-me um certo desconforto, confesso. Surge-me uma única resposta possível: rezam porque todos rezam. Tal como vão à missa porque todos vão à missa e interpretam as santas escrituras como todos as interpretam. Porque é que isto acontece? Porque sempre foi assim, sempre toda a gente fez assim. E, no fundo e ao olhar de alguém que só sabe de sociologia o pouco que lhe ensinam na faculdade, chego à conclusão de que fundamentos cristãos ou fundamentos dos terroristas muçulmanos são muito parecidos na sua raiz: tudo acontece porque é assim que está escrito e é assim que lhes meteram na cabeça que se faz. Muda apenas o olhar que o representante máximo de ambas as ideologias tem sobre o que, supostamente, o seu deus disse e defendeu. Mecanizaram grandes massas a obedecerem a algo em que, de forma impingida, acreditam e daí, como em todos os casos, surgem os radicais, as tão desvalorizadas "minorias". Agora é só pensar até que entramos numa avalanche que, no passado dia 13 de novembro, devastou Paris como já devastou muitas outras cidades que já escapam à memória da maioria.

Isto não é um manifesto anti religião, mas acredito que as grandes decisões necessárias para o mundo sejam as que obriguem ao dito "pensar fora da caixa".

Share this:

CONVERSATION

3 comentários:

  1. Isto acontece porque as pessoas vêem a religião com os seus olhos quando deviam ver-se através da religião. Moldam a "religião" conforme os seus interesses e pensamentos, quando devia ser a religião a moldar as pessoas. Concordo quando dizes que o Fundamentalismo em geral, é um defeito, até porque, como será possível cumprir à risca textos relativos e não-específicos, quando não se sabe o que se quer dizer exactamente... Acredito que, o que cada religião quer dizer sobre determinado sobre cada aspecto, deveria ser o resultado do "confronto" de todas as ideias e opiniões "de cada humano", com a abertura necessária para acolher a razão, bom senso, livre-arbítrio, deveres e direitos de cada... E que mundo que seria...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não discordo em nada, nem me coloco numa posição que descarte as religiões, descarto justamente instituições e esse moldar daquilo que deviam ser valores, na sua essência, a respeitar.

      Eliminar
    2. Concordo plenamente, nada a acrescentar...

      Eliminar