image1 image2 image3

ALL THE WORLD|WELCOME

Crónicas da Cidade Grande III

Levantou o mundo as suas vestes e a vida teve o mesmo plano de fundo. A caneta deslizou sobre o papel como em tantos outros dias, o copo encheu e a chuva parou.
Fosse o rio o ponto de partida e o barco seguiria o mesmo rumo, entre as mesmas margens.
Fumaria o perdido o mesmo cigarro como um mapa com um trajeto que o permitisse escapar.
Tocaria as suas agonias o piano que alguém comprou.
A mesma face da mesma moeda cairia sobre a mão de uma vida por decidir.
Ouviria a rua o mesmo tom arrepiante da passagem dos dias.
Seriam abertas as mesma garrafas para festejar os mesmo motivos de décadas e todos voltariam a ser motivos felizes, como se a felicidade fosse o pó do mesmo baú que todos abrem.
Rodaria a chave da porta o mesmo medo de todos os dias.
Veriam novamente o chão todos aqueles que pisam a rotina.
Passava o dia e todos assistiam ao seu cortejo. Sabiam que aquele era mais um e que mais uma vez as suas vestes cairiam e tudo seria igual, como já havia sido e como haveria de ser.


-àquela nossa típica estagnação.

Share this:

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário